terça-feira, 28 de junho de 2011

100 anos de História da Assembléia de Deus




O Berço em Belém

Na virada do século XX, surge em várias partes do mundo o movimento denominado pentecostal, que difundia uma renovação dos moldes pregados pelas igrejas tradicionais, por meio do batismo com o Espírito Santo.

Contagiados por esta doutrina, os jovens missionários suecos residentes nos Estados Unidos, Daniel Berg e Gunnar Vingren, receberam como missão pregar o evangelho em uma terra distante e desconhecida, chamada Pará. Foi então que partiram rumo a Belém, onde desembarcaram no dia 19 de novembro de 1910.

Inicialmente, integraram-se à Primeira Igreja Batista do Pará, localizada na Rua João Balbi. Porém, sentiram a necessidade de tomar um novo rumo.

A Missão

Desvinculado da Igreja Batista, o pequeno grupo pioneiro liderado pelos missionários ficou sem lugar para se reunir. Foi então que o casal Henrique e Celina Albuquerque ofereceu a ala de sua casa, na Rua Siqueira Mendes, para o início de uma das maiores obras pentecostais do último século.

Assim, no dia 18 de junho de 1911, na sala do casal Albuquerque, surgiu uma nova igreja, inicialmente chamada Missão da Fé Apostólica. Somente após sete anos de sua fundação, recebeu a denominação de Assembleia de Deus.

O Templo

As reuniões na Rua Siqueira Mendes duraram cerca de três meses. Depois, para facilitar o acesso, a igreja mudou-se para a residência de José Batista de Carvalho, na rua São Jerônimo (atual Avenida Governador José Malcher).

Em 8 de novembro de 1914, os membros passaram a se reunir em seu primeiro templo livre, situado na Travessa Nove de Janeiro. Ali ficaram até 30 de outubro de 1926, quando o pastor Samuel Nyström transferiu a sede da igreja para a Travessa 14 de Março, antigo nº 759. Nesse mesmo local, o pastor Firmino Gouveia inaugurou o atual Templo Central da Assembleia de Deus em Belém no dia 23 de abril de 1988.

Fé sem Fronteiras

Paralelamente à obra desenvolvida em Belém, a igreja caminhava a passos largos para a sua expansão, com cultos públicos em vários lugares, orações pelos enfermos e batismos com o Espírito Santo. A ilha do Marajó, onde os missionários estiveram apenas um mês após o desembarque em Belém, transformou-se em um dos mais ricos berços do movimento Pentecostal Brasileiro.

Começando pelos municípios arredores, o evangelho pentecostal espalhou-se por todo o Estado do Pará. Assim, enquanto Gunnar Vingren cuidava da igreja em Belém, Daniel Berg e um grupo que se formava saiu espalhando a mensagem por lugares como Bragança, Vigia, Timboteua, São Luís do Pará, Capanema, Quatipuru, Bonito, Primavera e Tauari.

O crescimento fenomenal da Assembleia de Deus está ligado diretamente ao trabalho dos leigos. Desde o início, a igreja valorizou o trabalho dos membros. Isso levou a mensagem pentecostal para os lares, praças e ruas e fez a igreja entrar nas prisões, hospitais e prédios públicos. Cada fiel da igreja tornou-se um evangelista. Não demorou muito para alguns desses homens e mulheres cruzassem as fronteiras do Pará.

Os resultados deram à igreja pentecostal a dimensão que hoje vemos. O rápido crescimento exigiu novos líderes e norteou a expansão da nova igreja.

Comemorações Inesquecíveis


A cada ano, a Assembleia de Deus em Belém, comemora sua existência com uma grande festa no Pará e no Brasil. Algumas festas foram marcantes, como o Jubileu de Ouro, em 1961, quando a igreja comemorou meio século de existência. Na ocasião, estiveram presentes o missionário fundador Daniel Berg e o missionário Ivar Vingren, filho do missionário Gunnar Vingren, já falecido na época. A festa do Jubileu não foi apenas local. Em diversas cidades brasileiras, essa data histórica foi igualmente festejada. Nesse período, os pentecostais brasileiros eram estimados em cerca de um milhão de pessoas.

Já em 2001, a igreja celebrou seus 90 anos de bem sucedida história. As comemorações oficiais começaram com uma marcha (com aproximadamente 100 mil pessoas) pela cidade de Belém.

centenário da Assembléia de Deus


Inauguração do Centenário Centro de Convenções reúne mais de 18 mil fiéis

Mais de 18 mil pessoas participaram da primeira celebração religiosa realizada ontem no Centenário Centro de Convenções, em Belém, em homenagem aos 100 anos da Assembleia de Deus. A grandiosa obra, que possui 13 mil metros quadrados de área climatizada, foi erguida ao longo de um ano e sua inauguração marca um século do maior movimento pentecostal do mundo, uma referência para a comunidade evangélica. No local, na Rodovia Augusto Montenegro, próximo ao Estádio Olímpico do Mangueirão, serão realizadas grandes celebrações alusivas ao Centenário até amanhã, dia 18 de junho.

O evento teve início com um louvor entoado com a ajuda de um coral de crianças. A primeira prece realizada dentro do Centro de Convenções foi conduzida pelo presidente da Assembleia de Deus no Pará, Pr. Samuel Câmara, que pediu que os presentes erguessem as mãos e agradecessem a Jesus Cristo pelos 100 anos de história e vitórias. Parentes de Daniel Berg e Gunnar Vingren, fundadores do movimento pentecostal participaram da inauguração.

Ao lado deles, autoridades paraenses prestigiaram o evento, a exemplo do governador do Estado, Simão Jatene; da primeira dama Ana Jatene; do prefeito de Belém Duciomar Costa; do prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho, além de senadores, deputados e vereadores. Helder Barbalho parabenizou a Igreja pela grandiosidade que alcançou. “A partir de Belém surgiu o maior movimento pentecostal do mundo. Isso tornou a cidade uma referência de fé mundial. Parabéns à Assembleia de Deus e a todos que fazem essa grande festa”, declarou o prefeito de Ananindeua.

Já o prefeito de Belém reconheceu o esforço dos fieis em organizar a festa. “Eu sei que foi um sacrifício mobilizar essa nação em prol do Centenário. Isso mostra que todos somos instrumentos da força de Deus que marca sua força no Brasil e no mundo”, disse o Duciomar Costa. Para o governador Simão Jatene, a data concentra muita emoção. “A Assembleia de Deus é um milagre que se renova a cada dia e que dá ao Pará, ao Brasil e ao mundo uma lição de vida. Tenho a certeza que cada pessoa que viveu o Centenário também vê a mão de Deus”, afirmou.

Emoção – A música teve espaço garantido na inauguração. Os cantores Alessandra Prado, Cristina Mel, Gabriel Lima e o grupo Celebrai, entre outros, estiveram presentes. Louvores como “Avante vai”, “Eu vejo a mão de Deus” e “Chego lá” foram acompanhados com muita emoção pelos fiéis. Duas orações foram feitas. Primeiro o Pr. Takayama, conhecido em todo o Brasil, citou passagens da Bíblia que mostram a grandiosidade da fé, que não distingui raças, classes sociais ou grau de instrução. Em seguida, um pastor da Suécia retomou a importância da vinda de seus compatriotas Daniel Berg e Gunnar Vingren para a criação do movimento pentecostal, que atualmente congrega cerca de 700 mil pessoas, somente no Estado do Pará, em seus mais de 4 mil templos.

Foto: Marcelo Lelis

Centenário da Assembléia de Deus


Uma multidão de mais de 70 mil pessoas lotou o Mangueirão no último sábado, 18 de junho, para participar do culto e da celebração musical em comemoração ao Centenário da Assembleia de Deus. A noite foi marcada pela presença do pastor alemão Reinhard Bonnk e por autoridades como o Governador do Estado, Simão Jatene; o Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, e pelo Senador Flexa Ribeiro, além da apresentação de diversos cantores e bandas gospel.

Um momento de destaque para os presentes foi a pregação de Reinhard Bonnk, pastor conhecido principalmente por suas grandes cruzadas evangelísticas através do continente africano.

“Estou muito emocionada com as palavras do pastor, de modo que nos incentiva manter a chama pentecostal acesa. Ele tem uma energia que contagia todo mundo. Podemos sentir a presença de Deus e isso é maravilhoso”, disse Amélia Martins, 69 anos.

O Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, que participou de todo o evento falou ao final da honra de estar presente. “Que a paz esteja com todos. Vim em nome do Senhor para fazer o que ele pediu: que todos nós, discípulos de Jesus, possamos nos reconhecer no amor que nutrimos uns pelos outros”.

O Governador do Estado, Simão Jatene, também se manifestou parabenizando a todos pela grande comemoração do Centenário da Igreja. “Não vim aqui falar. Vim ouvir e viver esse momento de celebração de amor e de vida. Em nome de todos os paraenses eu agradeço e parabenizo a todos os presentes. Que o amor sentido aqui se espalhe para todo o mundo”, disse.

A programação que estava marcada para começar às 19 horas registrou um estádio lotado horas antes do evento. Amparados por um forte esquema de segurança e saúde, incluindo médicos e ambulâncias de plantão, o evento no Mangueirão seguiu até as 23 horas, quando então as pessoas marcharam até o Centenário Centro de Convenções para o Vigilhão do Centenário, que seguiu até a manhã do domingo, 19.

Foto: Tarso Sarraf

segunda-feira, 20 de junho de 2011

sexta-feira, 10 de junho de 2011

CARTAZ


FOTOS PARA UTILIZAÇÃO EM CARTAZES NA DIVULGAÇÃO DE EVENTOS

































































































































































LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...