quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A importância do conhecimento


A importância do conhecimento bíblico

Texto base: (Lucas 2. 39-52)

Observando o texto acima podemos destacar:
v. 39 – cumprir tudo segundo a lei – para cumprir algo que esteja inserido em qualquer lei é necessário conhecermos a lei. Ter o conhecimento dos mandamentos (Bíblia) é de suma importância para vida do cristão fiel. “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” (Jo 14. 21)
v. 46,47 – o conhecimento reverte situações – o menino estava interrogando os doutores da lei, mas ao perceberem seu conhecimento da lei e inteligência, o quadro se reverteu e os doutores é que interrogavam Jesus admirados.
Outro exemplo de sabedoria está registrado em At 5. 33-34,38-40 “E, ouvindo eles isto, se enfureciam, e deliberaram matá-los. Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, venerado por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos; E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, Mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus. E concordaram com ele”.

Inteligência = sunesis – capacidade crítica para se apreender claramente, avaliando uma situação com coerência. Concede capacidade de análise e aprendizado.


Sabedoria = sophia – prudência, discernimento compreensivo, esclarecimento cristão, habilidade na aplicação correta de conhecimentos e uso da inteligência.
(Inteligência e sabedoria são capacitações que podem ser concedidas por Deus ao cristão. Tg 1.5-8)


v. 40,52 – o processo de aquisição de conhecimento (aprendizado) deve ser constante – o evangelista Lucas enfatiza o crescimento do menino Jesus nas áreas física, intelectual e espiritual.
O apóstolo Paulo segue o exemplo do Mestre e orienta Timóteo a fazer o mesmo “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar...” (I Tm 4. 12,13)


Onde deve ser ensinado a Bíblia:

1) Em casa: através dos pais.
A Família é a célula mater da sociedade. O núcleo familiar é o primeiro grupo social do qual participamos e recebemos, não somente herança genética ou material, mas principalmente moral. Nossa formação de caráter depende, fundamentalmente, do exemplo ou modelo familiar que temos na formação de nossa personalidade.
O ensino religioso na família tem um papel importantíssimo e produz a possibilidade do indivíduo estruturar-se de tal maneira que cria como objetivo básico o bem-estar pessoal e familiar através de uma vida regrada, saudável e estruturada.
Desde os tempos do Antigo Testamento, ainda no deserto com Moisés, o ensino da Palavra (Torah) era estimulado para que as famílias de Israel estivessem espiritualmente saudáveis diante de Deus. “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas. Quando, pois, o SENHOR teu Deus te introduzir na terra que jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, que te daria, com grandes e boas cidades, que tu não edificaste, E casas cheias de todo o bem, que tu não encheste, e poços cavados, que tu não cavaste, vinhas e olivais, que tu não plantaste, e comeres, e te fartares, Guarda-te, que não te esqueças do SENHOR, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão. O SENHOR teu Deus temerás e a ele servirás, e pelo seu nome jurarás. Não seguireis outros deuses, os deuses dos povos que houver ao redor de vós.” (Dt 6. 6-14)


Vejamos alguns dos benefícios que o Ensino Religioso, pode produzir no indivíduo e na sociedade, que é formada por famílias:

A Espiritualidade – A prática do culto doméstico e estudo da Bíblia promovem a espiritualidade no lar. Vivemos em um mundo globalizado, onde a individualidade, o materialismo-consumista tem ocupado a primazia no ambiente familiar, portanto valores espirituais são importantes na vida familiar.
A Moralidade – Precisamos definir primeiramente a diferença entre moralismo e moralidade. Moralidade são princípios morais e Moralismo é o legalismo desses princípios. O comportamento moral tem tudo a ver com a conduta religiosa da família. O apelo à sensualidade é muito grande. Os jovens são instruídos pela mídia a usar a camisinha, em uma atitude amoral, pois toda a cristandade baseia-se no casamento como sendo uma manifestação da graça divina como propósito para o homem e mulher (fica isto bem definido em Gênesis, livro sagrado para católicos, protestantes e judeus).
A Intelectualidade – A leitura diária do livro sagrado, promove o ambiente de intelectualidade e interesse pelas diversas formas de leitura.
A Sociabilidade – A prática de princípios litúrgicos, bem como o cumprimento das atividades eclesiásticas, promovem no cristão um maior desenvolvimento de expressão de liderança e facilidade de comunicação. Sendo inclusive benéfico para muitos jovens nos testes de emprego.


2) Na igreja: através dos pastores e professores.

O estudo da Bíblia na igreja é dividido em algumas áreas, que são:
Culto de doutrina – A palavra doutrina significa "ensino ou instrução".

A palavra doutrina se origina do grego "didache", significando ensino ou instrução; seu sinônimo comum é didaskalia. Os dois termos expressam tanto o ato de ensino (sentido ativo) como aquilo quer é ensinado (sentido passivo).
Culto de doutrina é o culto direcionado ao ensino e orientação da membresia, nas questões teológicas, emocionais e sociais, através das doutrinas bíblicas. “E declara-lhes os estatutos e as leis, e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer.” (Êx 18. 20)

Aconselhamento – Todo cristão, preparado ou não, pode ver-se impelido a desempenhar o papel de conselheiro. Porém, um conselheiro deve possuir um bom conhecimento bíblico e noções de psicologia para o desempenho desta tão importante missão.

Escola Dominical – Considerada também o local de se fincar estacas na vida do cristão, pelo fato da proximidade entre professor x aluno e a disponibilidade maior de tempo para exposição de assuntos teológicos de forma sistemática, a escola dominical proporciona ao cristão conhecer e examinar como as bases doutrinárias poderão ser colocadas em prática? O cristão tem a missão de expor e defender sua fé, conforme salientou Judas a necessidade de batalharmos pela fé "que uma vez foi dada aos santos" (v.3).
O fato é que a igreja desde sua origem, era estruturada na palavra, capaz de divulgar e defender suas doutrinas básicas: estava edificada "sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular" (Ef 2. 20)
O cristão que conhece a palavra pode como o apóstolo declarar: "Eu sei em que tenho crido" (II Tm. 1.12). Ele tinha uma crença firme, razão pela qual foi capaz de suportar as tribulações.


Exemplos de descuido com o uso do conhecimento e benefícios decorrente de seu uso adequado.

DESCUIDO:

· Davi era um homem integro segundo o coração de Deus (Atos 13:22), ele fez algo tremendo, ele fez algo que outros não fizeram. Ele buscou a Arca da Aliança, símbolo da presença de Deus que estava fora de Israel e com sinceridade ele pensou na melhor maneira possível de trazer essa Arca. E assim, muito bem intencionado, ele vai busca-la (II Samuel, 6:1-19). Surgem então alguns perigos:

Primeiro Perigo: Boas Intenções - Quando eu vivo uma vida apenas com boas intenções, não significa que estou agradando a Deus.

Segundo perigo: Fazer do nosso jeito - Então Davi prepara erroneamente um carro novo para buscar a Arca. Era o melhor que ele podia fazer, mas não era o jeito do Senhor. Sempre quando nos falta direção de como aplicarmos a Palavra de Deus em nossa vida, nós tentamos maneiras novas, maneiras que nós achamos, apesar de sinceras, mas que são apenas do nosso jeito, do nosso pensar.

Terceiro perigo: Confusão - Davi se afastou confuso e por muitos dias ele esteve triste. Ele depositou a Arca em uma casa , até receber a notícia que na casa que ele havia deixado a Arca, que era de um levita, tudo prosperava, tudo ia bem (II Samuel 6:9-13). Ele ficou pensando muito nisso, até o momento que ele entende que falhou em cumprir a Palavra. Então ele descobre que a Arca teria que ser levada em varais, que seriam colocados nos ombros de homens e não sobre lombos de animais (I Crônicas 15:2,13,15).

USO ADEQUADO:

Os heróis da fé destacados no capítulo 11 de hebreus tiveram como peculiaridade a fidelidade a Deus e crença na promessa que eles não alcançaram, mas que pelo conhecimento de Deus, autor da Palavra, mantiveram-se firmes em sua convicção enquanto viveram nesta vida. (v. 13)

CONCLUSÃO: Devemos tratar a palavra de Deus com o devido valor que ela tem.
“Filho, aprenda o que eu lhe ensino e nunca esqueça o que mando você fazer. Escute os sábios e procure entender o que eles ensinam. Sim, peça sabedoria e grite pedindo entendimento. Procure essas coisas, como se procurasse prata ou um tesouro escondido. Se você fizer isso, saberá o que quer dizer temer ao Senhor, e aprenderá a conhecê-lo. É o Senhor quem dá a sabedoria; a sabedoria e o entendimento vêm dele. (Pv 2. 1-6)


Pr. Vladimir Calisto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Graça e Paz de Cristo!
É muito bom e importante ter você comentando minha postagem.
Deixe seu contato de e-mail para que eu possa te responder e agradecer.
Que Deus continue te abençoando!
Fraternalmente,
Vladimir Calisto

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...